Páginas

20.8.09

Já bate a saudade


È verdade verdadinha, confesso e assumo, que sou uma mãe galinha a cem por cento, que sofro de ansiedade sempre que a minha rica cria não esta ao alcance dos meus olhos.

Como já referi num post anterior, irei regressar ao mundo do trabalho em breve, isso vai-me obrigar a por o feijoca novamente no infantário, de manha até ao fim do dia, se antes o levava apenas nos dias em que precisava mesmo e o ia buscar cedinho, agora vai ser bem diferente.

A escola reabriu ontem, e além de ainda não estar a trabalhar tinha pensado lá o levar, para se ir habituando novamente ao espaço e aos coleguinhas, tenho a certeza que o regresso vai ser muito difícil, tanto para ele como para mim.

Mas tanto ontem como hoje, não tive coragem de o levar a escolinha, logo pela manha, bateu uma saudade enorme, ele põe-me os cabelos em pé, é muito traquina e não para um segundo, mas mesmo assim chego ao fim do dia feliz, por o ter tido comigo.

E agora venha lá quem vier, e que diga que a escola faz bem aos miúdos, que eu digo imediatamente, que é treta, o que lhe faz bem é mimo, atenção, carinho, beijos de manha á noite, etc, etc, e isso quem da é a mama e o papa, na escola seja ela qual for, isso não acontece, e não digam que é mentira porque eu já trabalhei em dois infantários excelentes e sei bem como são as coisas....

Hoje joguem no euro milhões coisa que não é habitual, a partir de agora vou tentar a sorte, pode ser que um dia seja contemplada e possa voltar a desfrutar do meu filho ao máximo.

Ser mãe sem duvida é a melhor coisa do mundo, mas é quando temos tempo, quando podemos desfrutar de todos os momentos bons e maus dos nossos reguilas. Sofrer de ansiedade por não os ter ao nosso lado é muito mau, pelo menos para mim...

Não tenho, nem nunca tive medo nem preguiça de trabalhar, e sempre me pós ao caminho, mas desde que sou mãe, encaro o trabalho de outra maneira, se antes me sentia realizada, útil a sociedade, hoje já não sinto nada disso, encaro o trabalho como uma obrigação, como uma necessidade que tal como eu a maior parte da população mundial têm, para poder viver.



Ele ainda não voltou para a escola, e eu ainda não comecei a trabalhar e já bate cá uma saudade.....







2 comentários:

Marina disse...

Concordo totalmente contigo. O nosso pediatra tb diz que ao pé dos pais é que os bebés estão bem. Ter optado por estar a tempo inteiro com o Manuel tem-nos obrigado a alguns sacríficios, não pudémos comprar um carro melhor, não lhe podemos comprar todos os brinquedos giros que vemos, nem comprar para nós o que nos apetece como dantes. Mas estar com ele compensa tudo o que temos de abdicar. :) Bjs
PS- Mandei-te mail para o endereço que me deste aquando da privatização.

Mãe e Pai Borboleta... disse...

Amiga como eu te compreendo...eu tambem encarava a parte profissional a parte imprescindivel na minha vida...Ser realizada e ter sucesso era para mim "a parte profissional"...e agora...que sou Mãe...NADA DISSO ME É IMPORTANTE...
Já estou em casa á imenso tempo, e ela tem 7 meses e meio e o facto de pensar em voltar ao mundo do trabalho e a deixar com a ama, sem a ter ao pé de mim, sem poder brincar com ela, ouvir as gargalhdas dela e ver o seu sorriso...arrepia-me toda sou de pensar...E acho estranho em mim, porque sempre fui muito dinamica e apegada ao trabalho...Mas agora com ela...não penso noutra coisa senao ELA...aiiiiiiiiiiiii...
Como te compreendo amiga...que dor no peito, que aperto no estomago deves tar a sentir...
Jokinhas gandes